Quem é Dagda?

3 AN DAGDHA

“Eu sou Aed Abaid de Ess Rúaid, que é, o Bom Deus da feitiçaria da Tuatha Dé Danann, e Rúad Rofhessa e Eochaid Ollathair são meus três nomes.”

                Dagda é um dos principais, se não o principal, deus do Politeísmo gaélico e um dos mais cultuados entre seus praticantes. Apesar de ter origem Fomoire, ele pertence à Tuatha Dé Danann e é pai de muitos filhos e filhas dentro da mitologia, tanto que recebe o título de “Pai de Todos” (Ollathair). Seu nome (que na verdade é um título!) é traduzido como “O Bom Deus”, e de todos, os mais conhecidos são Eochaid Ollathair (“Cavaleiro Pai de Todos”), Aed Abaid (de tradução desconhecida) e Rúad Rhofessa (“Ruivo de Todo o Conhecimento”).

sucellos_god_of_the_celts_by_danbrenus-d46nh30

Talvez o atributo principal de Dagda é o clima e o tempo meteorológico, conforme o mito O cortejo de Étaín deixa explícito, dizendo que ele controlava o clima e as colheitas para a Tuatha Dé Danann. Por muitos estudiosos, a clava bifurcada com rodas – a Lorg Anfaidh – que Dagda possui (cujas extremidades podem matar ou ressuscitar e que precisa de nove homens para carregá-la) é interpretada como o raio e o trovão, e alguns de seus nomes podem ser traduzidos como “Atirador/Golpeador” e “Barulhento”, com o primeiro sendo uma clara conexão com outros deuses do trovão europeus, e o segundo, ao trovão (o som do raio). Além disso, acredita-se que Dagda tenha o poder de mudar as estações do ano com a sua harpa de carvalho – a Uaithne –, como quando ele chamou pelo inverno e pelo verão quando sua harpa foi roubada pelos Fomoire no mito da Segunda Batalha de Moytura.

                O mesmo texto mencionado acima, O cortejo de Étaín, também afirma que, alémDagda-Image-qol805 de controlar o clima para a Tuatha Dé Danann, Dagda também controlava as colheitas, portanto, Dagda é um deus relacionado à terra e as plantações. No texto medieval conhecido como A Conveniência dos Nomes, dizia-se que Dagda era o “deus da terra”, e como tal, um deus da terra logicamente terá controle sobre tudo o que cresce sobre ela, inclusive as plantações. Além disso, como deus do clima, também faz bastante sentido que Dagda também tenha controle sobre as plantações, já que o clima certamente influenciará os resultados de uma colheita bem sucedida ou não. E por falar em colheitas bem sucedidas, Dagda possui um tesouro, o caldeirão da fatura – um dos quadro da Tuatha Dé Danann, vindo da cidade encantada de Murias – que dizia-se estar sempre cheio, não importando o quanto você comesse dele. Esse fato certamente nos mostra essa ligação de Dagda com a prosperida, a abundância e a fertilidade. Esse aspecto fértil, por sua vez, é bem identificado em alguns de seus mitos, como quando ele come uma grande porção de mingau no acampamento dos Fomoire no mito da Segunda Batalha de Moytura e em suas histórias sexuais, como no encontro com Morrígan, Boann e Ní Indech, todas deusas seduzidas por ele. Sua própria aparência – barriga grande, porte gigantesco e pênis longo – também nos remete bastante à essa característica de deus farto e provedor.

       Dagda 1Dagda também é o deus da sabedoria e da feitiçaria. Um de seus nomes é traduzido como “Ruivo de Todo o Conhecimento” (Rúadh Rofhessa) e em diversos mitos ele é retratado como um deus bastante astuto, como quando ele aconselhou seu filho Óengus a roubar o palácio encantado do Brugh na Boinne de seu padrasto Elcmar, conforme relatado no mito O Cortejo de Étaín, ou quando, no mesmo mito, ele tem o plano de enviar Elcmar em uma viagem e, através de sua magia, faz o sol parar por nove meses no céu para que sempre ficasse dia e Elcmar não pudesse voltar e ver sua esposa sendo seduzida pelo Dagda, com quem teve Óengus – gerado e parido em um único dia. Sendo deus da sabedoria, não é de se espantar que ele também esteja associado com a magia e a feitiçaria. O mito Como Dagda ganhou sua clava mágica nos conta que Dagda era o deus da feitiçaria da Tuatha Dé Danann, tal como o texto A Conveniência dos Nomes, que diz que Dagda tinha um grande poder mágico. Em A Segunda Batalha de Moytura, além de seus ataques físicos, a tática de Dagda também incluía investidas mágicas.

                Como o deus Pai de Todos, Dagda protege os seus filhos, tal como mostrado TheDagdaT1várias vezes em seus mitos, onde ajuda seu filho Óengus a encontrar a donzela pela qual havia se apaixonado em seu sonho e ficado doente de amor por ela, ou quando ajuda seu filho Aed a raptar a donzela Eachrad, pela qual havia se apaixonado, e posteriormente, ajuda seu filho a lutar contra a família da donzela. Em outro mito, Aed se deita com Corrgend, uma mulher casada, e após seu marido descobrir a traição e matar Aed, Dagda se vinga de seu amado filho. Dentre seus outros filhos, temos Ainge, para quem construiu um balde de madeira para quando rio Boyne invadisse sua casa e fizesse pingar água no teto, a deusa do fogo Brigit, Bodb Dearg, Midir, Finnbar e Cermait Milbel. Na Irlanda, Dagda é associado com o Brugh na Boinne (atualmente conhecido como Newgrange), onde mora, segundo algumas fontes, com Tara, a colina de Uisneach e o rio Unshinn, onde fez sexo com Morrígan.

                Com essas informações preliminares, vimos o quão multifacetado é Dagda, com atributos variando desde o clima e colheitas até a sabedoria e a fertilidade. Essas informações são básicas, e caso queiram se aprofundar mais nessa divindade tão maravilhosa da religião gaélica, sugiro a leitura dos textos citados abaixo e dos encontrados na aba “Escritos”; vocês também podem encontrar os mitos citados aqui na página “Mitos”. Espero que tenham aprendido bastante e que eu tenha instigado a sua curiosidade para conhecer mais sobre esse deus tão especial para nós.

Angus Mc Oisín,

26 de novembro de 2017.


Leitura recomendada Leitura recomendada Leitura recomendada

TextosO deus Dagda

Por Angus Mc Oisín, disponível aqui.

TextosOs nomes do Dagda  (The names of the Dagda)

Por Scott A. Martin, disponível traduzido aqui.

TextosThe Dagda (em inglês)

Por Annie Loughlinn, disponível aqui.

Anúncios